Racismo: idoso é acusado de furto em hospital e esposa internada morre depois de gritar por ajuda

Funcionário de hospital gaúcho acusa falsamente idoso de roubo, seguranças o torturam, e esposa, ao saber, tem parada cardíaca

Crédito: Reprodução RBS TV

Everaldo da Silva Fonseca tem 62 anos de idade e é pai de família. Ele acompanhava a esposa no hospital, quando foi falsamente acusado de furto por um funcionário do Hospital Dom João Backer. Sofreu os maiores absurdos, foi agredido por seguranças e, ao final, perdeu esposa doente. Seu coração não aguentou tanta injustiça.

Denúncia de racismo em falsa acusação de furto

O senhor Everaldo, com 62 anos, sofreu enormes danos morais e físicos, sendo humilhado e agredido por seguranças em hospital. Tudo começou com uma falsa acusação de furto. Sua esposa. que estava internada por problemas no fígado, acompanhou tudo. Confira o relato do idoso sobre as agressões que ele sofreu:

“Me revistaram todo, me levaram para um corredor escuro lá. Eu apanhei, tomei soco nas costas, tomei chute do guarda, pisão no pé, me disseram um monte de palavra de baixo calão, me chamaram de tudo que eu não merecia. E eu disse para eles que eu era um homem de 60 e poucos anos, eu não ia estar apanhando, passando a maior vergonha. E a mulher gritava para eles me largar e eles não me largavam. Fizeram baderna comigo.”

Entre o festival de horrores, um dos seguranças o chamou diretamente pela cor de pele, enquanto o agredia. Foram chutes, socos e gritos, isso tudo entre os pacientes e funcionários. Sua esposa gritava por socorro, mas ninguém ajudou. Infelizmente, seu coração não resistiu a tamanha injustiça, e ela faleceu depois de uma parada cardíaca.

 

Um país de todos?

Mesmo sendo um país miscigenado, o racismo ainda está presente no Brasil. Se Everaldo fosse branco, ele sofreria essas atrocidades dos seguranças e seria acusado falsamente de furto pelo funcionário do hospital? Essa reflexão só comprova a importância de se combater o racismo no dia a dia.

Após um tempo, o celular foi encontrado pelos funcionários, que foram pedir desculpas a Everaldo. Porém, do que adianta as desculpas, se todo o estrago já tinha sido feito. Seu corpo e espírito já estavam feridos e sua companheira de anos já não estava mais presente para consolar.

Após o ocorrido, Everaldo registrou um boletim de ocorrência na polícia. Agora, é esperar que as autoridades tomem providências e punam severamente os envolvidos nessa atrocidade que custou danos morais, físicos e o falecimento da esposa amada de Everaldo.

Admin